Redação ENEM 2017   
 

  A coletânea do ENEM 2017, seguindo o que vem apresentando nos últimos anos, mescla textos verbais e não-verbais , assim como trechos de textos legislativos e informativos.

 O texto I, fragmento da Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência, sancionada em 2015, aborda o direito à educação de qualidade para a chamada "pessoa com deficiência", "segundo suas características, interesses e necessidades de aprendizagem", ou seja, há de se assegurar aqui o direito a uma escola que considere as especificidades desses alunos "promovendo a sua autonomia e participação".

 O texto II exige do candidato a interpretação de um gráfico que apresenta a quantidade de matrículas de surdos na Educação Básica brasilera entre 2011 e 2016. Ao extrair as informações desse gráfico, teria sido importante que o aluno notasse a queda significativa no montante de matrículas de surdos, tanto nas classes comuns quanto nas especiais.

  O texto III traz uma propaganda cuja mensagem verbal  inicia-se na 1ª pessoa do singular e conclui-se dialogando diretamente com o receptor, combinando, portanto, as funções expressiva e conativa da linguagem. Trata-se de uma campanha publicitária em favor da inclusão dos deficientes auditivos no mercado de trabalho que se direciona mais especificamente aos contratantes, o que se poderia assegurar pelo emorego da expressão "sua empresa".

  Por fim, o texto IV, informativo, correlaciona dados históricos: ao passo que os surdos passam a ter acesso à educação no Séc. XIX, durante o Império, somente em 2002 a Língua Brasileira de Sinais foi reconhecida como língua oficial no país.

Encaminhamento

  Tendo em vista que o recorte temático é "Desafios para a formação educacional de surdos no Brasil", o próprio recorte indica para duas questões a serem discutidas, a saber: a formação educacional de surdos no Brasil e os "desafios" para que ela aconteça. Alguns possíveis encaminhamentos para essa discussão, seriam:

- Problematizar a educação no Brasil, que não é inclusiva, e as dificuldades que um aluno tem de participar da vida escolar e do sistema educativio, tanto nas escolas públicas quanto nas privadas.

- Problematizar/abordar que, após a grande dificuldade de formação dos indivíduos surdos, muitas empresas ainda têm preconceitos ao contratá-los, apesar da Lei 8.213 de 24 de Julho de 1991.

Para articular um repertório de outras áreas do conhecimento no texto, poderiam ser usadas algumas ideias, como:

- A conceitualização dos Direitos Humanos;

-A constatação da ausência de surdos no mercado de trabalho;

-A constatação de que poucas pessoas aprendem LIBRAS no Brasil;

- A discussão em torno da invisibilidade social deste grupo no país;

- A discussão da questão linguiística associada ao acesso ao conhecimento.

Propostas de Intervenção

Embora, à primeira vista, pareça difícil  propor intervenções em relação ao problema abordado, o texto I apresenta várias ações possíveis - bastaria observar os verbos elencados: "assegurar educação de qualidade..., colocando-a  a salvo de toda forma de violência, negligência e discriminação"; "assegurar, criar, desenvolver, implementar, incentivar, acompanhar e avaliar"; "ofertar educação bilingue.

Além disso, no próprio corpo da lei, os agentes de intervenção foam nomeados: "É dever do Estado, da família, da comunidade escolar e da sociedade."

Combinando os agentes com as ações, poderíamos ter uma gama considerável  de possibilidades, ilustradas na enumeração abaixo. Cabe lembrar que as propostas de intervenção devem estar relacionadas ao que foi mencionado nos parágrafos de desenvolvimento. Seguem alguns tópicos de caráter ilustrativo: 

- Cabe à rede regular de ensino assegurar o processo educacional do surdo, (1) através da sua língua primeira, Libras,  meta  que só pode ser alcançada com a capacitação  de todos os professores na linguagem dos surdos;  (2) através da garantia,  na prática,  da matricula universal e sem discriminação aos surdos; (3) apoio pedagógico  para  o desenvolvimento congnitivo e que contemple as dificuldades específicas desse grupo. 

- O Estado pode incentivar, por meio da isenção fiscal, a produção de material audio-visual com tradução em Libras. 

- A Secretaria da Educação dos municípios deveria promover cursos de formação pedagógica para professores e funcionários  das escolas. 

- Ongs e associações de defesa dos direitos humanos devem  identificar instituições educacionais  que  não cumprem o papel de por à salvo  de violência e discriminação os portadores de deficiência, promovendo o dálogo para sanar eventuais problemas e, no limite,  denunciar aqueles que violam os direitos de educação dos surdos. 

- O Ministério Público deve estar atento às violações e facilitar as denúncias envovendo a negilgência aos direitos de formação dos surdos. 

- Cada indivíduo  deve promover o acolhimento do aluno surdo,  desetimulando ações discriminatórias no ambiente escolar. 

 

 

 

 
Voltar    Home